terça-feira, 8 de novembro de 2011

Enquanto o meu braço era a sua guitarra imaginária...

Então eu estou aqui mas uma vez, no meu querido Laço Cor de Rosa, tentando ansiosamente compôr com palavras aquilo que o meu coração só entende por seu nome. Que mania chata, Ana! Ao mesmo tempo, que sensação mais prazerosa essa de se compreender mais do que considero gestos, sorrisos, enfeites, abraços. Eu sou um tanto quanto sentir; aprendi a ouvir sentindo o som que saía dos lábios do meu pai enquanto ele me ensinava a gostar de histórias; aprendi a enxergar mais do que os olhos podem me oferecer através da luz, sentindo a presença que os seus olhos claros provocam em mim; aprendi a falar meus devaneios absurdos sentindo o que eu chamo de afeto.
...
Enquanto o meu braço era a sua guitarra imaginária numa música do Ozzy, eu senti.
Me desculpem aqueles que esperavam mais do que essa breve descrição, mas a verdade é que até mesmo para mim, o Amor é um grande mistério. Já desisti de compreendê-lo por meios exatos, ainda mais agora, que se quer tenho tempo de descansar em casa...

Um comentário:

Obrigada por visitar O Laço Cor de Rosa. O seu comentário é muito importante para mim!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...