sexta-feira, 7 de junho de 2013

Sobre aquilo que me faz falta...


Peço desculpas pelas próximas linhas, leitor. Faz muito tempo que eu não me dedico ao papel e sinto a minha inspiração cada vez mais longe de mim. O que será que aconteceu comigo? Logo eu, que gosto tanto de escrever, hoje penso duas vezes antes de por em palavras os meus sentimentos. É um receio no qual eu não estou acostumada - está aí uma contradição particular: por mais que eu seja tímida (daquelas que evita contato visual com pessoas que acabou de conhecer), sempre fui muito espontânea com as palavras. Um texto romântico nunca me deixou envergonhada - muito pelo contrário, adorava ouvir bons comentários sobre uma história ou outra, e até mesmo as críticas me deixavam feliz, pois para chegar nelas, o leitor teve que se dedicar ao romance, teve que buscar o sentido daquilo tudo e interpretar o que eu tanto queria expressar, chegando assim aos seus critérios.

Não estou aqui dizendo que não gosto mais de escrever - isso seria a última coisa que você ouviria de mim, e se um dia chegarem a ouvir, por favor, desconfiem, verifiquem se não há nenhuma ameaça em volta. Não, não é nada disso. Eu ainda amo. Eu ainda sinto cada letrinha do alfabeto percorrendo o meu corpo, eu ainda troco facilmente uma barra de chocolate por um livro novinho, levo comigo um caderninho azul com o desenho do Bidu (Turma da Mônica) onde eu escrevo os meus pensamentos de metrô. Não, eu jamais deixaria de escrever. Eu só estou receosa. 

E para ser sincera, não estou me adaptando bem à essa nova sensação. Parece que tudo deve ser pensado e repensado até eu cansar e decidir por não escrever mais - até eu ser levada a acreditar que não passam de um amontoado de besteiras e que ninguém precisa saber. 

Talvez seja só uma fase. Talvez eu esteja naquele momento da vida em que os conceitos mudam, em que tudo deve ser reciclado para se transformar em algo novo - talvez seja assim com os sentimentos e com a maneira como os demonstramos. Sim, é só uma fase e pronto.

Eu só não quero que ela demore muito para passar. 

Gosto muito de escrever e ficar sem esse pequeno luxo é algo que me tira a vontade de fazer qualquer outra coisa. 

6 comentários:

  1. Gostei muito daqui, simplesmente perfeito,
    então, resolvi ficar e voltar mais vezes.

    beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E em todas essas voltas, você será muito bem-vinda. Considere este cantinho como seu também, Mayara.

      Excluir
  2. Eu sinto isso dentro de mim Ana... eu quero escrever, amo escrever, e só de pensar na possibilidade de nunc amais fazer isso, fico doida... mas eu pego no papal e simplesmente não sai nada, rabisco, desenho pra ver se vem aquela inspiração, mas no máximo uma frase cotidiana... eu penso as vezes que esse dia-a-dia atrapalha, essa correria não sei... eu gosto de sentir as coisas cm meu coração, mas a rotina engole qualquer sentimento, e deixa td automatico...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei bem como é, Maria, é uma sensação muito ruim, parece que a gente não sossega até conseguir tirar essas palavras de dentro de nós... espero que você reencontre a sua inspiração, que você volte a escrever com o seu coração...

      Excluir
  3. Adorei o seu blog! Me identifiquei com a sua forma de expressar.
    Você é de onde?

    ResponderExcluir

Obrigada por visitar O Laço Cor de Rosa. O seu comentário é muito importante para mim!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...