quinta-feira, 8 de agosto de 2013

A garoa


Os dois últimos dias foram difíceis. Não sei nem por onde começar, mas sei que preciso escrever - acredito que as palavras têm o poder de curar as feridas do coração - sei que isso pode soar "meio" bobo, ainda mais vindo de uma garota de dezenove anos, mas não tem problema se você me achar sensível demais por isso. É assim que eu me sinto. Ponto.

Continuando, durante esses dois dias eu fiquei triste. Alguém que eu amo muito não está conseguindo lidar com os seus problemas e os parentes tiveram que intervir. Ele foi internado, porque precisa de ajuda. Pessoas que aprenderam a resolver os seus conflitos - seja através de livros teóricos da faculdade ou vivendo um dia após o outro, vão ajudá-lo nessa questão. Estarão prontos para ouvir os seus maiores anseios e concertar aquilo que um dia foi quebrado. 

Eu sei, eu sei. Ele está seguro. Vai ser bem cuidado. Vai conseguir dormir a noite. Provavelmente, terá livros a sua inteira disposição - mas mesmo assim, não consigo deixar de sentir tristeza. 

A minha tristeza é como uma garoa bem fininha, leitores. Você não abre um guarda-chuva quando ela aparece no meio da noite, pois seria exagero, mas mesmo assim você a sente e sabe que pode ficar gripado. Ok, que péssima relação que eu fiz agora, peço desculpas se algum antigo professor de Língua Portuguesa tenha curvado a sobrancelha para entender as minhas entrelinhas, mas foi a primeira imagem que veio à minha cabeça. Uma garoa.

Eu não choro, eu não esperneio, eu não deixo de ir a faculdade ou mudo o meu humor com os outros. Eu simplesmente sinto, como uma garoa fininha. Chuvisca um pouco, mas não precisa de guarda-chuva. Agora melhorou a comparação? É, eu sei. Continua ruim. 

Eu me sinto mal ao meu modo e sei que não está errado, mas eu só queria chorar um pouco. "Chover pra fora". Gritar. Estender os braços como um sinal claro de "me abrace", mas não dá. O que posso fazer, do meu jeitinho, é pedir a Deus que ampare esse alguém que eu amo muito e ouvir o desabafo da minha mãe atreladas a algumas sutis reclamações. Sem choro. Sem nenhuma gota de água da minha garoa.

4 comentários:

  1. Eu sinto uma garoa constante... Não são todos que entendem a garoa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Jane, não são todos. Alguns preferem a tempestade, dura pouco tempo e é mais fácil de se prevenir.

      Excluir
  2. Adorei seu texto, parabéns :)

    beijão :*
    http://pequenosviciosdiarios.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada por visitar O Laço Cor de Rosa. O seu comentário é muito importante para mim!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...