sexta-feira, 16 de agosto de 2013

O jogo das palavras

Agora que já conheço todas as matérias (e vocês ainda não, mas fiquem calmos porque eu já estou preparando o post para falar sobre cada uma) eu posso afirmar que Teoria Literária é a que mais me encantou - não sei se é pelo modo como a professora leciona, nos levando a questionar e ao mesmo tempo, com o jeito de uma contadora de histórias (ela me lembra o Khaled Hosseini) - ou se é por ser entre todas as matérias, a que mais se aproxima dos livros. 

Concluo que os dois motivos me levaram a ficar ansiosas pelas três aulas de quinta-feira. 

E é sobre a aula de hoje que eu vou escrever para vocês. Mas fiquem calmos, ok? Não pensem que será no sentido mais teórico, pois isso seria um pouco difícil pra mim e acho que pra vocês também. Eu vou é escrever sobre uma frase que a professora Sueli disse durante sua explicação sobre a subjetividade presente nos textos, era mais ou menos assim:

Todo texto é um jogo, e eu te desafio a me desvendar. 

Quase que instantaneamente, senti um arrepio percorrer a minha pele. Ela não olhou diretamente nos meus olhos quando disse essa frase e suponho que não havia pensado na possibilidade de alguém se surpreender tanto com poucas linhas. Mas o efeito que causou em mim foi real e emocionante. Ela atingiu em cheio os motivos pelos quais eu escrevo, a minha vontade que quase ninguém entende de por em palavras os meus sentimentos - desde os mais doces até os mais estridentes.

Eu te desafio a me desvendar, a me interpretar com as suas palavras. 

Para isso, é preciso ler nas entrelinhas, buscar o contexto perdido em olhares, essas são as regras do jogo. E não espere por explicações, pois você só encontrará emoções.

Os textos são assim, capazes de nos levar a conhecer outras pessoas, numa perspectiva única e intrigante. Única, no sentindo de que o mesmo texto não pode ser escrito igual duas vezes. Num minuto depois os sentimentos mudam, os conhecimentos de mundo se tornam mais específicos e por mais que você queira escrever com as mesmas palavras, o sentido já mudou. Intrigante, pois nos leva a questionar os motivos externos que levaram o escritor a pegar o lápis e o papel a escrever. 

Fiquei pensando nisso durante o restante da aula. Acabei descobrindo mais sobre mim, sobre as palavras e sobre o que nós podemos fazer com elas; podemos nos apaixonar com o auxílio de verbos conjugados com o nosso sujeito favorito, nos desconcertar ao som de um bom adjetivo, desses que não ouvimos com tanta frequência e por fim, usar as reticências a nosso favor... deixar no ar a dúvida, a curiosidade e quem sabe, o encontro... ahhh... como eu amo colocar em palavras o meu dia, e mais ainda, como eu amo essa busca incansável pela transcrição e compreensão do outro - sim, pois só posso me considerar uma boa escritora, se a minha intenção de alcançar os seus sentimentos se concretizar. Nada menos do que isso!

Sim, professora, todo texto é um jogo e escrever é o verdadeiro desafio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por visitar O Laço Cor de Rosa. O seu comentário é muito importante para mim!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...