domingo, 2 de fevereiro de 2014

Não precisa falar


"Não precisa falar."

Não precisa falar. É claro que não precisa falar. Aliás, porque falaria, se todas as palavras saem tortas da minha boca? Se cada parágrafo dito em voz alta desmancha esse seu bom humor difícil de se presenciar nos dias que se seguem nessa casa quente, tão quente quanto a maresia? 

É claro que não precisa falar. Também não precisa sentir. Pra que sentir, se as emoções boas são apenas murmúrios num grande salão de festas?

É tudo tão difícil, Deus, como é difícil. 

Já não me dou por sorrisos, mas as lágrimas eu conheço bem. Sei quando elas estão por chegar. Aprendi a controlá-las em público. Já guardei na lembrança a exatidão vermelha e borrada que vira o meu rosto, os cílios úmidos, o nariz vermelho... tudo é tão próximo. 

Não precisa falar. 

E aquela dorzinha volta, aliás, vem e volta... 

É curioso como a vida nos preenche e nos esvazia. No mesmo dia, no mesmo cômodo. 

É complicado explicar, dizer diretamente, porque as palavras não têm volta. Não há espaço para arrependimentos. Não há.

Então, não posso dizer. Não há ninguém para ouvir, então, não precisa falar. É meu. Essa dor? É minha. Essa saudade? Minha. O erro? Sim, também pertence a mim. 

E. Cada. Segundo. Fica. Mais. Difícil. 

2 comentários:

  1. " E curioso como a vida nos preenche e nos esvazia. No mesmo dia e no mesmo comodo." Perfeito, Ana. Bjs, Nay

    ResponderExcluir

Obrigada por visitar O Laço Cor de Rosa. O seu comentário é muito importante para mim!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...