sábado, 8 de março de 2014

Leitura da semana: Iracema, de José de Alencar


Semana passada uma amiga me emprestou o livro Iracema, um clássico da literatura nacional escrito por José de Alencar no ano de 1865.

Aqui no blog, não pretendo fazer uma análise da obra - também acredito que não tenho ainda o necessário para interpretá-la, quem sabe lá pra frente quando eu tiver literatura brasileira como disciplina, portanto, contarei apenas o assunto tratado nesse livro tão maravilhoso que me encantou de várias formas. 


A história, contada por um narrador observador, nos apresenta aos personagens de um Brasil que estava começando a se miscigenar e a formar o povo brasileiro.

Iracema, a nossa protagonista, é uma índia pertencente a tribo dos tabajaras, filha do pajé Araquém e portadora do segredo de Jurema, uma bebida mágica que os índios consumiam em rituais religiosos. Era considerada a virgem de Tupã. 

Certo dia, Iracema encontrou na mata um vulto desconhecido e com medo, ela disparou uma flecha no rosto do homem. Quando se aproximou, ficou arrependida e ofereceu ao que agora ela reconhecia como um guerreiro branco a hospitalidade de sua tribo. Esse homem era o português Martim. 

Com o passar dos dias e das noites, Martim e Iracema se apaixonam e acabam partindo da tribo para se encontrarem com Poti, chefe dos pitiguaras e que considera Martim como um irmão. A partir desse momento, os conflitos começam a surgir entre as duas tribos e o guerreiro branco acaba deixando Iracema sozinha para que assim pudesse enfrentar os combates ao lado de Poti. 

A índia Iracema está grávida de seu amado, mas nem mesmo esse fato consegue suprir a tristeza que sente e a saudade que consome seus dias. Quando volta de uma batalha, Martim encontra sua esposa e seu filho, cujo o nome é Moacir, "o filho do sofrimento"

Será que Iracema voltará a ser a índia alegre que Martim conhecera? O que acontecerá com o amor da índia e do guerreiro branco? E Moacir, o representante da miscigenação do povo brasileiro, será criado como um índio ou como um homem branco?


É impressionante como a leitura de José de Alencar pode acrescentar tanto a uma simples leitora. Gostei muito da obra e por várias vezes fiquei triste, imaginando o sofrimento pelo qual a Iracema passou. 

Confesso que a linguagem não é muito fácil, pois o livro é recheado de metáforas, o que exigiu muita atenção da minha parte. Mas posso dizer a vocês que todo o esforço vale a pena, pois é um livro maravilhoso, um clássico da nossa literatura brasileira!

 Informações sobre o livro 

Titulo: Iracema
Autor: José de Alencar
Editora: Ciranda Cultural
Romance brasileiro
ISBN: 978-85-380-0596-4
127 páginas

4 comentários:

  1. Oi Ana! Ainda não li Iracema, mas não foi por falta de vontade. De José de Alencar até hoje só li "Senhora", conhece? É um livro maravilhoso e a história é impressionante, se ainda não leu recomendo. ;)

    Beijoos
    http://comvistaparavida.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Ana, esse romance e mesmo muito envolvente, lindo, lindo! Bjs, Nay

    ResponderExcluir

Obrigada por visitar O Laço Cor de Rosa. O seu comentário é muito importante para mim!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...