sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Leitura da semana: As intermitências da morte, de José Saramago


No primeiro dia do ano a morte suspendeu seus serviços naquele país - ninguém morreu, nem mesmo aquele homem que fora atropelado e tinha chances mínimas de sobreviver ou mesmo aquela senhora que no leito do hospital já se despedia de seus entes queridos. Ninguém. 

A notícia gerou no país um verdadeiro caos. As pessoas não entendiam o que estava acontecendo e antes mesmo que o governo tivesse tempo de se manifestar, a greve da morte ocasionou um número cada vez maior de enfermos nos hospitais (sim, porque as pessoas continuavam doentes e envelhecendo), a decadência da igreja (sem morte não há ressurreição e sem ressurreição portanto, não há igreja), as companhias de seguro perderam gradualmente os seus clientes assim como as do serviço funerário. 

Diante dessa nova situação, um senhor pede aos filhos que o leve para o outro lado da fronteira, visto que nos outros países, a morte continua trabalhando. Logo a notícia se espalha e uma organização denominada máphia surge para tirar proveito - atravessando a fronteira e enterrando os mortos e cobrando para isso um bom dinheiro das famílias desesperadas. 


Ausente por muitos meses, a morte decide entregar uma mensagem através de uma carta com papel violeta, entregue ao senhor diretor-geral da televisão. Na carta, a morte anuncia que a partir da meia-noite tudo regressará à normalidade, com uma única diferença: todos serão prevenidos de seu fim e terão o prazo de uma semana para por tudo em ordem, escrever o testamento, dizer adeus à família ou fazer as pazes com alguém que não fala a anos. 

No segundo momento da obra, a nossa macabra protagonista segue escrevendo as cartas a punho e entregando-as àqueles que terão os seus dias contados. Seria uma atividade até que monótona se não houvesse um caso em especial: uma das cartas foi devolvida três vezes, ou seja: alguém que deveria morrer no prazo prescrito pela morte, não morreu. 

Insultada e curiosa, ela descobre que a figura que a surpreende é o violoncelista, um homem de meia-idade que nem sequer pode imaginar que já deveria estar morto. Disposta a conhecê-lo, ela se transforma numa linda mulher e a partir desse momento, nos deparamos com a morte apaixonada pela vida e pelo músico. 


José Saramago escreveu um romance composto por duas partes, unidas pela carta cor violeta, e eu dividiria da seguinte maneira: a primeira representa simbolicamente a morte enquanto que a segunda, a vida. É uma leitura reflexiva que nos leva a questionar sobre o modo que enxergamos essas duas vertentes essenciais aos seres humanos. 

Além disso, o estilo do escritor foi um desafio e tanto para mim, já que o Saramago só utiliza vírgula e ponto final (uma pausa curta e uma pausa longa) e não distingue discurso diretos e indiretos. Confesso que foi um desafio e tanto, mas gostei muito de ler e pretendo me aventurar em outras de suas histórias. 

 Informações sobre o livro 

Titulo: As intermitências da morte 
Autor: José Saramago
Editora: Companhia das Letras
Romance Português
ISBN: 85-359-0725-4
207 páginas

2 comentários:

  1. Oii,

    O livro parece ser ótimo, mas eu ainda não tive a oportunidade de ler.

    Adorei seu blog :)

    Bom dia!!

    Galera, o EC&M foi atualizado com os meus recebidos do mês de julho (tô atrasada, eu sei) vem ver o que tem na minha lista :)

    http://www.entrechocolatesemusicas.com/2014/08/livros-recebidos-01.html

    ResponderExcluir
  2. Ana estou anônima por um probleminha aqui, mas enfim, meu nome é Liza tenho 16 anos e ano que vem cursarei faculdade de Letras! Queria que me respondesse algumas perguntinhas, é possível? Como você começou a dar aulas, com quantos anos, e dá aula de português mesmo? é em escola pública ou algum órgão particular? Sua faculdade é Licenciatura em Português apenas ou tem inglês também? Este curso exige muita leitura nas aulas e provas né?! Um beijos e me desculpe pelo tanto de perguntas é que fico muito curiosa em saber, afinal farei o mesmo curso que você e tenho a mesmo intenção que a sua: dar aula! Parabéns pelo blog <3

    ResponderExcluir

Obrigada por visitar O Laço Cor de Rosa. O seu comentário é muito importante para mim!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...