domingo, 7 de setembro de 2014

Leitura da semana: O Primo Basílio, de Eça de Queirós


A leitura dessa semana também foi realizada para acompanhar as aulas de Literatura Portuguesa - Prosa do curso de Letras. Para mim, não foi nenhum sacrifício, pois estou me descobrindo uma fã dos escritores lusitanos. Começou lá no semestre passado, com o Gil Vicente e agora, já me aventurei pelas páginas de Almeida Garret, Alexandre Herculano, Camilo Castelo Branco e por fim, Eça de Queirós. Não vejo a hora de estudar o poeta Fernando Pessoa (nós vamos estudá-lo nesse semestre, porque no outro não deu tempo).

O Primo Basílio foi escrito no período do Realismo português, movimento conhecido pelo seu caráter de renovação e modernidade, contraponde-se aos ideais da geração romântica. 

Eça de Queirós constrói uma narrativa voltada para a crítica social, carregada de ironias e personagens simbólicos, A linguagem é clara e objetiva, se aproximando muito à oralidade, usando inclusive, expressões consideradas vulgares, como arrotar, vomitar, escarrar. Essas características já nos dão uma ideia de como será desenvolvida a narrativa que se distancia conscientemente do estilo romântico. Vamos à história.

Luísa, a nossa protagonista, adora ler romances para passar o tempo. É casada com Jorge - os dois levam uma vida tranquila, recebem amigos em casa de vez em quando e pertencem à burguesia lisboense. 


A rotina do casal muda quando Jorge tem que se ausentar por alguns meses devido a uma viagem de trabalho. Os dias de Luísa, se já eram preenchidos pelo ócio, agora que o marido viajou, ficara quase impossível não se entendiar. Mas uma surpresa inesperada a deixa feliz e ocupada: seu primo Basílio, antigo namorado, foi visitá-la, dizendo que ia passar alguns dias em Portugal antes de retornar à França. Depois de alguns encontros, Basílio se mostra interessado na prima, e começa o jogo de sedução.

Basílio e Luísa acabam se tornando amantes e passam a se ver e trocarem cartas todos os dias. Os amigos mais próximos da família e os vizinhos começam a notar a constante aparição do primo solteiro na casa do Jorge, e para não levantar mais suspeitas, começam a se encontrar no Paraíso, um pequeno quarto alugado por Basílio. Luísa está feliz, sentindo que finalmente está vivendo um romance como nos livros que tanto lera. 

Por mais que tenham escondido o caso da vizinhança, Juliana, criada de Jorge e Luísa, desconfia de tudo o que está acontecendo e passa a observá-los. Após um tempo que pareceu interminável, a engomadeira finalmente conseguiu o que queria: encontrou três cartas dos amantes e as usou para chantagear a patroa. 

Desesperada, Luísa conta tudo a Basílio, que se mostra indiferente. Alguns dias depois, ele retorna à França. Enquanto isso, a nossa protagonista sofre cada vez mais com os abusos de Juliana e acaba por adoecer. Pouco tempo depois, Jorge volta de sua viagem, Juliana se mostra cada vez mais vingativa e Luísa, mais doente. 

Como será que terminará esse sofrimento?

 Informações sobre o livro 

Titulo: O Primo Basílio
Autor: Eça de Queirós
Editora: Sol
Romance Português
407 páginas

Um comentário:

  1. Amo "O primo Basílio", é uma história que ainda reflete muito em nossa sociedade. Já leu "Os Maias"? Nossa, é fenomenal. Do Almeida só li "Viagens na minha terra", e odiei, kkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Meu grande amor português é o Saramago, que escritor. <3

    ResponderExcluir

Obrigada por visitar O Laço Cor de Rosa. O seu comentário é muito importante para mim!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...