sábado, 15 de novembro de 2014

Leitura da semana: Terra Sonâmbula, de Mia Couto



A leitura da semana foi uma indicação da professora de Literatura Portuguesa e será um dos temas da avaliação do segundo bimestre. Para mim, não foi nenhum sacrifício passar quatro dias lendo Terra Sonâmbula, romance do escritor moçambicano Mia Couto, publicado em 1992. Isso porque a leitura foi extremamente agradável.

O livro narra duas histórias que ocorrem em momentos diferentes, mas que depois se unem. Os capítulos se alternam, sendo o primeiro sobre o velho Tuahir e o menino Muidinga e o segundo, são os relatos de Kindzu, registrados num diário. 

O pano de fundo é o período pós-independência de Moçambique (1975), quando o país enfrentava a guerra civil (1976-1992)

Tuahir e Muidinga estão fugindo da guerra que devastou Moçambique. Durante a longa viagem, os dois encontram um ônibus incendiado, o machimbombo, e decidem passar a noite lá, entre corpos carbonizados. É neste ambiente que o menino encontra, à beira da estrada, uma mala cheia de anotações e outros pertences pessoais. O possível dono da mala está ao lado - tinha sido morto por tiros, a camisa tão empapada de sangue que era praticamente impossível dizer qual era a cor da roupa. Muidinga decide levar os papeis, que Tuahir pretende usar para acender a fogueira.

No entanto, o menino decide fazer a fogueira apenas com as capas dos cadernos, pois assim, poderia ler os relatos até cair no sono. É a partir deste momento que a história de Kindzu nos é apresentada, pela voz do miúdo.

Kindzu, depois da morte de seu pai, se sente perdido em sua terra e então, decide sair para encontrar outros caminhos. Durante a viagem, ele é surpreendido por desventuras causadas pelo espírito de seu pai e encontra uma linda mulher chamada Farida, que conta a sua história para ele. Farida está a procura de seu filho e Kindzu decide ajudá-la na busca. 

No decorrer da narrativa, vivenciamos o que a guerra fez com as pessoas e no que ela as transformou. Há presença do místico, das crenças, da influência dos ex-colonizadores, da procura de uma identidade e da esperança do povo em uma vida melhor.

Conforme Muidinga lê os cadernos, ele recupera sua memória (que havia sido apagada por um feiticeiro à pedido do velho Tuahir), e as histórias são entrelaçadas. 

Um livro universal e atemporal. A natureza está presente em cada página, bem como a maneira poética com a qual Mia Couto escreve. Um livro essencial, que eu indicaria para qualquer pessoa que goste de ouvir boas histórias.

 Informações sobre o livro 

Titulo: Terra Sonâmbula
Autor: Mia Couto
Editora: Companhia Das Letras
Ficção Portuguesa
206 páginas

Um comentário:

  1. Olá, Ana! Me chamo Caíque e, um dia no youtube, encontrei um vídeo seu falando porque estava fazendo o curso de Letras. Achei a ideia do vídeo super massa e queria dizer que também faço Letras. Te segui no Twitter, qualquer coisa me segue lá pra gente conversa mais. É @CaiqueMedeiros

    ResponderExcluir

Obrigada por visitar O Laço Cor de Rosa. O seu comentário é muito importante para mim!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...