domingo, 10 de janeiro de 2016

Leitura da semana: Dois irmãos, de Milton Hatoum


Oi, leitores! Tudo bem com vocês? 

Lembram da professora que me emprestou "Claraboia", de José Saramago? Imaginem só, que ela também me indicou a leitura de "Dois irmãos", do escritor Milton Hatoum. Ela usou este livro com os seus alunos do Ensino Médio e falou tão bem da obra, que não resisti: pedi emprestado também. 

Vocês já leram algo deste escritor amazonense? Eu não acredito que fiquei tanto tempo sem conhecer seu trabalho! A leitura flui de tal forma, que você não apenas imagina as cenas, como também sente que faz parte delas. Sabe aquela pessoa que fica atrás da porta ouvindo a conversa? Fui eu! Nessa última semana viajei para Manaus na década de 40, conheci a família de origem libanesa do Halim, incluindo Zana (esposa), Yaqub e Omar (gêmeos) e Rânia (filha), além de Domingas e seu flho Nael, ambos empregados da casa.

É Nael quem nos conta a história dos gêmeos Yaqub e Omar, sendo que este é muitas vezes referido como Caçula. Os dois irmãos nunca se entenderam. Quando pequenos, brigavam por tudo e os pais decidiram separá-los: Yaqub foi levado para uma aldeia no Líbano, voltando no fim de sua adolescência para casa. 


A impressão que temos é que esta separação acentuou ainda mais os conflitos entre os dois: enquanto Yaqub é silencioso, pouco comunicativo, Omar é a festa em pessoa - chegava tarde em casa, mantinha relacionamentos com várias mulheres, arranjava brigas com todos. Halim nunca aceitou o jeito do Caçula, mas Zana o defendia com unhas e dentes, até mesmo quando Omar cometia grandes erros.

Yaqub tem uma cicatriz no rosto, herança de uma briga com Omar. Quando eram jovens, os dois se apaixonaram por uma mesma garota e o Caçula percebeu que a menina estava mais interessada no irmão mais velho. Num  momento oportuno, Omar quebra uma garrafa e corta o rosto de Yaqub. Este é o símbolo do ódio entre ambos, que se perpetua por uma vida inteira.


O amor cego de Zana pelo Caçula, o silêncio e as conquistas de Yaqub, o desprezo de Halim por Omar, os sentimentos de Rânia pelos seus irmãos gêmeos... todas essas questões e o domínio técnico do autor para contá-las, nos deixa impressionados. Que história! Obrigada, professora Soraia, por mais um livro espetacular!

2 comentários:

  1. Também tivemos uma pequena apresentação desse livro em uma aula de literatura contemporânea da faculdade.
    Estou bem curiosa para ler tb!

    Abraços
    Patricia
    www.doseliteraria.com.br

    ResponderExcluir

Obrigada por visitar O Laço Cor de Rosa. O seu comentário é muito importante para mim!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...